Ensaio de Dobramento ūüí™ {Atualizado em 2021}

Ensaio de dobramento

O que é o ensaio de dobramento?

No ensaio de dobramento n√≥s pegamos um corpo de prova padronizado e submetemos ele ao dobramento, ou seja, uma deforma√ß√£o pl√°stica por flex√£o. 

O corpo de prova, assentado sobre dois roletes (ou apoios) afastados a uma dist√Ęncia especificada, √© dobrado por interm√©dio de um cutelo, que aplicam esfor√ßo de flex√£o no centro do corpo, at√© que seja atingido o √Ęngulo de dobramento especificado. Veja abaixo o significado dos termos mencionados.

culeto e roletes do ensaio de dobramento
Cutelo e roletes do ensaio de dobramento

M√°quina de ensaio de dobramento
M√°quina de ensaio de dobramento

A carga aplicada durante este ensaio n√£o √© uma informa√ß√£o de grande relev√Ęncia, sendo mais importantes o √Ęngulo final do corpo de prova (pois determina a severidade do ensaio), e a caracter√≠stica final da face tracionada.

A severidade do ensaio aumenta com a redu√ß√£o do di√Ęmetro do cutelo. Esse di√Ęmetro √© fun√ß√£o do di√Ęmetro do corpo de prova ou da espessura dele.

Outro par√Ęmetro que determina a severidade do ensaio √© o √Ęngulo de dobramento que √© geralmente de 90¬ļ, 120¬ļ ou 180° (A severidade do ensaio aumenta com o aumento do √Ęngulo).

Observação: Existe também o ensaio de flexão, aplicável durante a fase elástica dos materiais. Este ensaio, porém, não é comum no meio técnico da soldagem.

Finalidade do ensaio de dobramento

Embora forne√ßa apenas resultados qualitativos (muitas vezes os valores num√©ricos n√£o t√™m import√Ęncia), o ensaio de dobramento √© um meio bastante simples e eficaz para detectar problemas metal√ļrgicos e de compacidade que podem afetar o comportamento dos materiais em servi√ßo.

√Č poss√≠vel tamb√©m, como no ensaio de tra√ß√£o, determinar o alongamento das fibras tracionadas. Basta medir o comprimento inicial Lo (base de medida) na regi√£o apropriada, antes do ensaio, e medir, ap√≥s o dobramento, com auxilio de uma escala flex√≠vel, o comprimento L da regi√£o alongada.

De posse desses valores, basta aplicarem a fórmula vista abaixo.

Medição do alongamento no ensaio de dobramento

Devido a sua relativa simplicidade, o ensaio de dobramento √© largamente utilizado nas ind√ļstrias e laborat√≥rios com o objetivo de verificar a capacidade de deforma√ß√£o dos materiais, na detec√ß√£o de defeitos de compacidade, metal√ļrgicos e de soldagem assim como obter valores comparativos de ductilidade dos materiais.

As descontinuidades oriundas do processo de soldagem mais comumente observ√°veis no ensaio de dobramento s√£o:
  • Falta de fus√£o;
  • Inclus√Ķes met√°licas e n√£o met√°licas;
  • Poros
  • [message]
    • ##exclamation## Aten√ß√£o
      • √Č bem comum a observa√ß√£o de trincas nos corpos de prova(ver exemplo abaixo). Note que essas trincas geralmente s√£o originadas dos esfor√ßos necess√°rias para o dobramento. A inicia√ß√£o dessas trincas pode dar-se nas descontinuidades acima ou mesmos nos “cantos” do corpo de prova. As normas d√£o relev√Ęncia e abordam esses fatos de forma diferente.
Os par√Ęmetros do ensaio, tais como dimens√Ķes do corpo de prova, dist√Ęncia dos apoios, di√Ęmetro do cutelo, √Ęngulo de dobramento e os crit√©rios de aceita√ß√£o s√£o definidos por normas ou c√≥digos de fabrica√ß√£o.

Corpos de prova

No ensaio de dobramento, um lado do corpo de prova é tracionado enquanto o lado oposto é comprimido.

O corpo de prova pode ser retirado dos produtos acabados ou pode ser o pr√≥prio produto, como por exemplo, parafusos, pinos, barras que apresentem dimens√Ķes adequadas para serem colocados na m√°quina de dobramento.


Para analisar o resultado do ensaio, examina-se a olho nu a zona tracionada do corpo de prova. Para o corpo de prova ser aprovado, ele n√£o deve conter trincas ou descontinuidades acima de um determinado valor especificado.

O resultado do ensaio √© considerado reprovado se o corpo de prova apresentar estes defeitos ou se romper antes de atingir o √Ęngulo a especificado.

Corpo de prova de dobramento
Corpos de prova de dobramento

Métodos de dobramento

O ensaio de dobramento pode ser de três tipos: Livre, Semi guiado e Guiado (dobramento livre, dobramento semiguiado e dobramento guiado).

O dobramento livre é realizado de forma que a força aplicada atua nas extremidades do corpo de prova e não no ponto onde ocorre o dobramento máximo.

O dobramento semiguiado é realizado de tal modo que uma das extremidades do corpo de prova fica presa e a outra sofre a aplicação de força; a força também pode ser aplicada em outro local do corpo de prova.

O dobramento guiado é feito por meio de rolos de apoio e o cutelo (figura acima). Ele é o ensaio mais comum e preferido pelas normas mais populares em soldagem tais comum ASME, AWS, API entre outras.

Para evitar que o corpo de prova sofra esforços indevidos de tracionamento, o que implicaria maior severidade do ensaio, deve-se diminuir ao máximo o atrito entre o corpo de prova e os rolos de apoio, utilizando boa lubrificação.

A velocidade do ensaio n√£o √© importante… desde que o ensaio n√£o seja feito t√£o r√°pido que ele possa ser enquadrado como um ensaio din√Ęmico (Exemplo ensaio de impacto).

Tipos de dobramento

O ensaio de dobramento em corpo de prova soldado pode ser dividido em v√°rios tipos:
  • Dobramento lateral transversal;
  • Transversal de face;
  • Transversal de raiz;
  • Longitudinal de face;
  • Longitudinal de raiz
Para facilitar a memorização, o dobramento pode ser de (face ou raiz) e (longitudinal, transversal ou lateral).

Com a observa√ß√£o de que o dobramento lateral n√£o tem face ou raiz (porque √© “de lado”).
A qualificação de soldador e qualificação do procedimento de soldagem normalmente requerem a realização de diversos tipos de dobramento.

Os corpos de prova são previstos em normas e códigos de construção soldada, como por exemplo, o código ASME, seção IX. O método utilizado nesta norma é o dobramento guiado.

Os dispositivos de dobramento utilizados podem compor uma pe√ßa √ļnica ou pe√ßas separadas. Em ambos os casos, a dist√Ęncia entre os apoios √© pr√©-determinada em fun√ß√£o do di√Ęmetro do cutelo e da espessura do corpo de prova a ser dobrado.

Na execução do ensaio, o corpo de prova é centralizado entre os apoios enquanto o cutelo é pressionado contra a peça a ser dobrada.

Numa junta soldada de pequena espessura, s√£o retirados corpos de prova para dobramento transversal de face e de raiz. J√° para espessuras maiores s√£o utilizados corpos de prova para dobramento lateral transversal.

Os dobramentos longitudinais s√£o utilizados como alternativa para os transversais quando os materiais de base soldados possuem resist√™ncias mec√Ęnicas muito diferentes.

Dobramento lateral transversal

No dobramento lateral transversal, o eixo longitudinal do cord√£o de solda forma um √Ęngulo de 90° em rela√ß√£o ao eixo longitudinal do corpo de prova a ser dobrado.

Nesse caso, o dobramento será realizado de maneira que uma das superfícies laterais do corpo de prova, onde a solda está cortada de topo, torne-se convexa em relação ao corpo de prova dobrado.

Dobramento lateral

Dobramento transversal de face

O eixo longitudinal do cord√£o de solda forma um √Ęngulo de 90° com o eixo longitudinal do corpo de prova a ser dobrado. Nesse caso, o dobramento √© realizado de maneira que a superf√≠cie do corpo de prova que cont√©m a face da solda se torne a superf√≠cie convexa do corpo de prova dobrado.

Dobramento transversal de raiz

O eixo longitudinal do cord√£o de solda forma um √Ęngulo de 90° com o eixo longitudinal do corpo de prova a ser dobrado. Nesse caso, o dobramento √© realizado de maneira que a superf√≠cie do corpo de prova que cont√©m a raiz da solda se torne √† superf√≠cie convexa do corpo de prova dobrado.

Dobramento longitudinal de face

O eixo da solda é paralelo ao eixo longitudinal do corpo de prova. Nesse caso, o dobramento é realizado de modo que a superfície do corpo de prova que contém a face da solda se torne a superfície convexa do corpo de prova dobrado.

Dobramento longitudinal de raiz

O eixo longitudinal do cordão de solda é paralelo ao eixo longitudinal do CP (corpo de prova) a ser dobrado. Nesse caso, o dobramento é realizado de maneira que a superfície do corpo de prova que contém a raiz da solda se torne a superfície convexa do corpo de prova dobrado.

Exemplo de dobramento face/raiz
Exemplo de dobramento face/raiz

Para a realização do ensaio de dobramento é necessária uma prensa com capacidade relacionada à dimensão do corpo de prova a ser dobrado e com facilidade de fixação dos dispositivos adequados. No entanto, é comum a utilização de máquinas de ensaio do tipo universal, projetadas de maneira a permitir a realização desse ensaio. Um exemplo abaixo:

Equipamento utilizado para a realização do ensaio de tracão

Avaliação dos resultados

A avaliação dos resultados é feita por meio de normas. Por exemplo, a norma ASME, seção IX, item QW-163, especifica que o ensaio é aceitável se não ocorrem trincas e descontinuidades maiores que 3 mm na solda ou na zona afetada pelo calor (ZAC ou ZTA).

Trincas com origem a partir das bordas do corpo de prova ensaiado devem ser desconsideradas, a menos que evidenciem a presen√ßa de outras descontinuidades. A ideia desse conceito √© que as bordas funcionam como “cantos vivos” e s√£o pontos de inicia√ß√£o de trinca que nada tem haver com a qualidade do material ou com o objetivo do ensaio.

Consulte sempre o procedimento da sua obra ou a √ļltima revis√£o da norma aplic√°vel para saber o crit√©rio de aceita√ß√£o correto.

Referências Bibliográficas

Citação

Gostaria de citar este meu artigo em seu trabalho ou monografia? 

Copie o par√°grafo abaixo e cole na sua se√ß√£o de bibliografia (ou refer√™ncias bibliogr√°ficas). Lembre-se de substituir os "X" mai√ļsculos pelas datas da sua consulta.

LUZ, Gelson. Ensaio de Dobramento. Blog Materiais, [s. l], 2017. Disponível em: https://www.materiais.gelsonluz.com/2017/10/ensaio-de-dobramento.html. Acesso em: XX de XXXX de 20XX.

Obs.: Esta cita√ß√£o segue a norma ABNT NBR 6023 (Sim ela foi revisada).

Coment√°rios

Google

Redes sociais: Instagram e Twitter.
Nome

A√ßo Carbono,27,A√ßo Cromo,2,A√ßo Cromo Molibd√™nio,3,A√ßo Cromo N√≠quel Molibd√™nio,6,A√ßo Cromo Van√°dio,1,A√ßo Inoxid√°vel,11,A√ßo Mangan√™s,1,Afinidade-Eletronica,87,AISI,11,ASTM,72,Calor Espec√≠fico,30,Calor-Fusao,93,Calor-Vaporizacao,96,Composi√ß√£o Qu√≠mica,138,Condutividade-Eletrica,79,Condutividade-Termica,104,Densidade,240,Dilatacao-Termica,85,Distribuicao-Eletronica,109,Elementos-Quimicos,109,Eletronegatividade,102,Energia-de-Ionizacao,102,Ensaios Destrutivos,14,Estados-de-Oxidacao,104,Estrutura-Cristalina,95,Familia,78,Grupo,109,Isotopos,109,Livros,3,Massa Espec√≠fica,14,Massa-At√īmica,137,Massa-Molar,65,Massa-Molecular,46,Modulo-de-Elasticidade,81,Numero-Atomico,109,Periodo,106,Peso Espec√≠fico,87,Ponto-de-Ebuli√ß√£o,140,Ponto-de-Fus√£o,164,Potencial-de-Ionizacao,101,Propriedades,8,Qu√≠micas,20,Raio-Atomico,86,Raio-Covalente,87,Raio-Ionico,78,SAE 10XX,24,SAE 13XX,1,SAE 41XX,3,SAE 43XX,2,SAE 5XXX,2,SAE 61XX,1,SAE 86XX,3,SAE 93XX,1,Simbolo-Quimico,109,Termos T√©cnicos,30,Valencia,98,Viscosidade,49,Volume-Atomico,94,
ltr
item
Materiais (PT): Ensaio de Dobramento ūüí™ {Atualizado em 2021}
Ensaio de Dobramento ūüí™ {Atualizado em 2021}
https://3.bp.blogspot.com/-d8BprOucwkA/WeIr9WQ4KKI/AAAAAAAABI8/8bMUJ8T8QtIZEcRe1RN92ilVSM4JcSFOACLcBGAs/s320/ensaio-de-dobramento.jpg
https://3.bp.blogspot.com/-d8BprOucwkA/WeIr9WQ4KKI/AAAAAAAABI8/8bMUJ8T8QtIZEcRe1RN92ilVSM4JcSFOACLcBGAs/s72-c/ensaio-de-dobramento.jpg
Materiais (PT)
https://www.materiais.gelsonluz.com/2017/10/ensaio-de-dobramento.html
https://www.materiais.gelsonluz.com/
https://www.materiais.gelsonluz.com/
https://www.materiais.gelsonluz.com/2017/10/ensaio-de-dobramento.html
true
7042743288249888548
UTF-8
Todos os artigos carregados Nenhum artigo encontrado Ver Todos Ler mais Responder Cancelar Resposta Apagar Por In√≠cio P√°ginas Artigos Ver todos RECOMENDADO PARA VOC√ä TAGS ARQUIVO Pesquisar TODOS OS ARTIGOS Nenhum artigo satisfaz a sua pesquisa. Voltar Domingo Segunda Ter√ßa Quarta Quinta Sexta S√°bado Dom Seg Ter Qua Qui Sex S√°b Janeiro Fevereiro Mar√ßo Abril Maio Junho July Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atr√°s $$1$$ minutes ago 1 hora atr√°s $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago A mais de 5 semanas Seguidores Seguir Este conte√ļdo √© exclusivo PASSO 1: Compartilhe em sua rede social favorita. PASSO 2: Clique no link da sua pr√≥pria postagem na rede social. Copiar todo o c√≥digo Selecionar todo o c√≥digo Todos os c√≥digos foram copiados √ćndice